Cartas

Segunda, 22 Novembro 2010 10:37

Sou cristão mas tenho recaídas... o que fazer?

Escrito por
Avalie este item
(7 votos)

UM INTERNAUTA NOS ESCREVEU E SE APRESENTA COMO CRISTÃO MAS COM CONFLITOS NA ÁREA SEXUAL. VEJA O QUE ELE NOS DIZ:

“PAZ DO SENHOR PARA OS AMADOS IRMAOS EU COMECEI A FREQUENTAR A IGREJA FAZ UNS 8 ANOS ,MAS ANTES DE IR PARA A IGREJA EU JA TINHA PROBLEMAS COM HOMOSSEXUALIDADE MAIS NUNCA FALEI PARA NINGUEM NEM PARA A FAMILIA NEM PARA MEU PASTOR.

NO DECORRER DOS TEMPOS EU ME BATIZEI E CONTINUEI COM ESSE PROBLEMA. PASSOU UM ANO DEPOIS DE PASSAR PELAS AGUAS FUI BATIZADO COM FOGO (ESSE E MINHA PRIMEIRA DUVIDA ,COMO FUI BATIZADO PELO ESPIRITO SANTO COM ESSE PROBLEMA COM HOMOSEXUALIDADE).

 FUI CONSAGRADO A COPERADOR COM ESSE PROBLEMA .NA IGREJA EU SOU NORMAL ADORO LOUVAR TER OPORTUNIDADES ORAÇAO VIGILIAS EVANGELIZAR .DEPOIS DEUS ME DEU O DOM DE REVELAÇAO MAS MUITAS VEZES EU NAO ENTREGO O QUE DEUS ME FALA ,EU PENSO COMO DEUS PODE ME USAR EU COM ESSE PROBLEMA?

EU NAO AGUENTO MAIS ESSA SITUAÇAO ,MAS TENHO MEDO E VERGONHA DE FALAR COM MEU PASTOR E OUTRA COISA SE MEU PASTOR FAZER EU FALAR COM MINHA FAMILIA? MINHA FAMILIA E CRENTE MAS É FRACA NA FE E EU TENHO MEDO DE ELES FICAR SABENDO E AFASTAREM DA IGREJA.

NAO SEI O QUE FAZER MAIS ,SO TENHO UMA CERTEZA NAO VOU SAIR DA PRESENÇA DE DEUS POR CAUSA DISSO -  ISSO EU SEI. POR FAVOR ME AJUDEM. O QUE FAZER?”

Falar sobre este assunto não é muito fácil não é verdade? A questão sexual ainda não é tão discutida como deveria. Mas, como expressa o dito popular “conversando a gente se entende”, ou retraduzindo em termos bíblicos “Não havendo sábia direção (ou conselhos) o povo cai, mas na multidão de conselhos há sabedoria (ou segurança)” (Provérbios 11:14). Esperamos que aqui, não apenas quem nos escreve mas também que acessa nosso site encontre conselhos que lhe permitam construir casa na rocha e não na areia. Afinal, como disse Nosso Senhor Jesus Cristo, aquele que ouve as minhas palavras e as pratica, é semelhante ao que homem prudente que construiu a sua casa na rocha. Já o que ouve e não pratica, é semelhante ao que construiu a casa na areia. A diferença não é só ouvir é praticar. (Confira Mateus 7:24) Certamente você já sabe, mas é bom relembrar esta referência para quem desejar refletir sobre este assunto.

Também é bom ver que você ama a Deus e a obra do Senhor. Você deixa isso claro ao dizer: “não vou sair da presença de Deus por causa disso”. Escreve claramente do seu desejo de servir a Deus, enquanto se refere ao comportamento homossexual das mais diversas formas tais como: “continuei com esse problema”; “fui batizado no Espírito Santo com esse problema”; fui consagrado a cooperador com “esse problema”; “como Deus pode me usar com esse problema?”;não agüento mais essa situação”; “não vou sair da presença de Deus por causa disso”. Veja que você tem uma revelação muito clara do que é a vida na presença de Deus, mas vive um conflito com algumas recaídas em comportamento homossexual ao que você mesmo chama de “problema”, “situação”, finalizando ao dizer que não pretende sair da presença de Deus por causa “disso”. A sua opção está clara, e, ao que parece, às vezes, como você mesmo diz, cai em tentações na área da sexualidade e se envolve em relações homossexuais.

Primeiro, é bom lembrar que o seu comportamento não é diferente daquele que se relaciona sexualmente antes do casamento com o sexo oposto (comportamento que a bíblia chama de fornicação) ou mesmo daquele que dá as suas “fugidinhas” mesmo estando dentro de uma união matrimonial (comportamento que chamamos de adultério). Você não é pior e nem melhor do que nenhum deles. Não será mais amado ou menos amado por Deus do que as pessoas que não conseguem se controlar na área sexual. Digo isso porque às vezes a pessoa se sente menos digna, menos amada do que outra, quando, na verdade, estamos cansados de saber que Deus não faz acepção de pessoas. Há da parte de Deus amor verdadeiro para todo o ser humano que em sinceridade buscar a presença do Senhor, não por causa dos nossos méritos mas apesar das nossas fraquezas.

Você diz que começou a freqüentar a igreja, foi batizado nas águas e no Espírito Santo, foi consagrado a cooperador, teve algumas experiências na fé e diz não entender como pode Deus usá-lo apesar de seu comportamento homossexual. Ora meu caro, vamos lembrar que quem está enfrentando fraquezas não é Deus mas você. Se o nosso Senhor decidisse parar de usar todos os homens pecadores e começasse a usar somente os perfeitos, certamente as igrejas fechariam. Mas não podemos esquecer da advertência de Jesus Cristo no mesmo Sermão da Montanha, no mesmo capítulo 7 de Mateus, versículos 22 e 23 que diz: “Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade.” Ser usado por Deus poderá acontecer, mas um dia, chegaremos na presença do nosso Pai, e queremos receber o bem vindos. Que Deus nos livre de naquele dia não sermos reconhecidos pelo Senhor.

Como cristãos que somos nos submetemos à autoridade das Sagradas Escrituras e nela encontraremos várias advertências sobre o comportamento sexual humano que deve estar harmonizado com o “princípio da criação” registrado no Evangelho de Marcos 10, versículo 06, quando o nosso Senhor Jesus Cristo disse: “porém desde a criação, Deus os fez macho e fêmea”. Mas há no livro de Romanos uma manifestação bíblica explícita e veemente contra a relação sexual entre pessoas do mesmo sexo (Romanos 1:26 a 32). Neste texto não é abordado apenas a relação sexual entre homens mas também entre mulheres. O autor do livro de Romanos, cuja autoria é atribuída a Paulo, fala das três loucuras do ser humano: a) trocar o Deus imortal pelo homem mortal b) trocar a verdade pela mentira c) se envolver com parceiro do mesmo sexo, como era desde o princípio, quebrando assim o já falado “princípio da criação”.

Em tudo isso você crê. Pelo menos deixa transparecer em sua carta que conhece a Deus e deseja seguir os ensinamentos bíblicos. Se essa é a verdade do seu ser até aqui não dissemos novidade nenhuma. Estamos apenas “chovendo no molhado”. Apenas diagnosticando o que você já sabe. No final da sua carta surge o grito da sua alma: O que fazer?

Primeiro não temos nada que fazer ao que está feito. Você sabe e todos nós sabemos Jesus pagou na cruz pelos nossos pecados. Somos salvos pela graça (Efésios 2:8). Assim não precisamos fazer mais nada. Apenas crer, apenas confiar, apenas entregar a vida inteira a Jesus Cristo.

Seu coração sabe disso. Mas não consegue ter paz com os erros do passado. Certamente você já confessou e se arrependeu sozinho diante de Deus, mas ainda não se sentiu perdoado. Assim não quer ficar com esses vultos, com essas sombras de pecado assombrando a sua mente e o seu coração não é verdade?

Há um princípio bíblico que se enquadra nessa situação. Diz o texto sobre a ceia do Senhor em Coríntios 11:31 e 32 que diz: “Porque se nós julgássemos a nós mesmos não seríamos julgados, mas quando somos julgados somos repreendidos pelo Senhor para não sermos condenados com o mundo”.

Talvez você não vai gostar dessa parte, mas você precisa confessar o seu pecado. Sim eu sei que você já confessou a Deus, até mesmo com lágrimas, mas o seu coração ainda não está em paz. A sua alma pede para confessar, para ser julgada com amor, para ser repreendida pelo Senhor e enfim obter a cura. Há um ensinamento de cura nesse assunto na Bíblia quando em Tiago 5:16 se lê: “Confessai as vossas culpas uns aos outros e orai uns pelos outros para que sareis; a oração feita por um justo pode muito em seus feitos.”

Em nossa Igreja esse assunto é tratado com muito amor e carinho pelo nosso Pastor. Pelo jeito você tem medo das reações que podem surgir no local onde você congrega. Mas de uma verdade bíblica não podemos nos afastar. O seu coração precisa da cura através da confissão e da oração.

Pense nisso. Ore a Deus. Estude a bíblia e peça orientação ao Espírito Santo. Com certeza haverá da parte do Senhor uma sólida orientação para o seu caminho.

Com temor de Deus esperamos ter ajudado a você e a outros que possam acessar este texto a encontrar o caminho para pacificar os conflitos que atormentam o coração na área sexual.

Lida 13378 vezes

Main Menu